Cerca de cem membros da Congregação Testemunha de Jeová têm se revezado na entrada do Rock in Rio desde que o festival começou, em 27 de setembro. A intenção é divulgar a religião para o público do evento, conforme matéria da jornalista Jana Sampaio, publicada na Veja.

Os voluntários são de diferentes pontos do estado do Rio de Janeiro e decidiram, com antecedência, os temas que deveriam ser abordados no evento. “Como o público é majoritamente jovem, deveríamos trazer livros sobre o segredo da família e outro com as principais perguntas sobre a religião”, disse o líder do grupo, o militar reformado Waldeck Prado, de 54 anos.

Vestidos com roupas compridas e formais, todos os religiosos receberam orientações de como deveriam abordar o público. “Em eventos de músicas, normalmente nos deparamos com muitas pessoas bêbadas, por isso orientamos os membros da igreja a não responderem as agressões e ofensas”, contou Prado.

Segundo Prado, o grupo tem conseguido atrair a atenção dos frequentadores do Rock In Rio e, desde o início do festival, cerca de 350 pessoas já pararam para ouvir “a palavra de Deus”. “Assim como nós, as pessoas estão aqui para fazer o que gostam. Mas, uma vez que ela aceite se tornar um testemunha de Jeová, deve abandonar alguns hábitos. A pessoa que é homossexual, por exemplo, precisa abandonar essa prática e seguir os mandamentos da Bíblia”, esclarece Prado.

Ironicamente, um dos hábitos que a pessoa deve abandonar ao se converter é o de  frequentar festivais de música, como o Rock in Rio.

tratis.jpg